• Daniel Silva

UX não é UI

Conheça um exemplo que vai te ajudar a não confundir UX e UI, nunca mais!

Apesar da popularização dos termos, ainda existe muita dúvida, inclusive no próprio mercado de trabalho, sobre suas diferenças e as especialidades de atuação para os profissionais de cada área.


Vamos lá?


Imagine o seguinte:


1. Você está no centro de São Paulo e precisa ir até o aeroporto de Guarulhos para pegar um voo e, para isso você decide usar o Uber.

2. Você pega o seu celular, abre o Uber, informa o seu destino, seleciona o veículo e tipo de corrida que deseja, realiza o pagamento automático, pois o seu cartão já estava cadastrado, e aguarda o motorista dentro de um prazo determinado.

3. Quando o motorista chega, você entra no carro e aguarda enquanto ele dirige até o seu destino para conseguir pegar o seu voo dentro do horário.

Todas as etapas acima falam de UX, ou seja, User Experience (Experiência do usuário).


De modo geral, o perfeito funcionamento de todo o conjunto garantirá que você, o usuário, tenha os seus objetivos atendidos, se sinta satisfeito, e se lembre do Uber na próxima vez que precisar de uma corrida.


Agora, se você não conseguisse chamar um carro, tivesse problemas com o pagamento ou, se o motorista se atrasasse, certamente sua experiência seria diferente e você cogitaria outros serviços quando fosse viajar novamente.


Ainda sobre as etapas para solicitar um Uber, em determinado momento o usuário precisou interagir com o app, ou seja, ele precisou de uma interface que o conduzisse e tornasse capaz a realização de uma tarefa: chamar um carro para o levar ao aeroporto. O que proporcionou isso foi a User Interface (Interface do usuário) ou UI.


Com a popularização dos smartphones e crescente número de telas em nossas vidas, sites e aplicativos são UIs constantes em nossas vidas. Mas UIs não são apenas digitais. O cockpit de um carro, por exemplo, é uma UI. O painel de avião, o controle remoto da sua TV, seu teclado. Todos são interfaces que nos permitem utilizar alguma tecnologia e realizar ações através delas.


De modo geral, tudo fala sobre a experiência, e tudo é (ou deveria ser) pensado para o ser humano, para o usuário. Ou, como diria nosso já conhecido amigo Don Norman:


“User Experience é tudo: é a maneira como você experimenta o mundo, é a maneira como você experimenta sua vida, é a experiência que você tem com um serviço ou… um aplicativo, um sistema de computador. Mas é um sistema que é tudo!”
Don Norman

Ei, olha o Norman ai falando sobre o termo UX!



Se gostou, dá um curtir lá embaixo e comente o que achou!


Quer saber mais? Acesse “E esse tal de UX, User Experience?“.



5 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo