• Desiree Pereira

UX Writing: quando o UX Design valoriza a experiência textual do usuário

Basta dar uma olhada no LinkedIn ou em grandes portais de notícias relacionados a tecnologia que nos deparamos com duas letrinhas que, de uns anos para cá, vimos se popularizar não só, mas principalmente no Brasil: UX.


O termo UX, ou User Experience (experiência do usuário em inglês), foi criado no final dos anos 90 por Don Norman, designer, professor e cientista cognitivo pela Universidade da Califórnia.


Tendo passagens por grandes empresas como a Apple, Norman se propôs a pesquisar os principais aspectos que englobam a interação que um usuário tem ao consumir um produto ou serviço; não só em relação à tecnologia ou logística do processo, mas também sobre os aspectos afetivos e emocionais envolvidos.


Assim, surgiu o conceito de que o usuário — segundo sua percepção, ação, motivação e bagagem — cria experiências ao utilizar um determinado produto ou serviço. O papel do profissional de UX é procurar criar e moldar essas experiências para serem compatíveis com as necessidades e desejos do usuário e do negócio em que trabalham.


Foto de Don Norman, ele usa óculos e uma boina. Está segurando o queixo com a mão direita.

Esse é o Don Norman ; )


Neste contexto existem algumas competências específicas dentro da área de UX, como:

  • UX Researcher: responsável por elaborar e realizar pesquisas com foco na identificação de comportamentos, motivações e dores do cliente.


  • UX Strategist: analisa e gera propostas de valor inovadoras para os produtos da empresa alinhando-as às necessidades do usuário.


  • UI Designer: responsável por criar a experiência visual final de uma solução para o usuário, utilizando-se de conceitos de design e até mesmo psicologia, além de muitas outras.

Dentre essas profissões temos a de UX Writer, que são os profissionais responsáveis por criar a estratégia de conteúdo de modo a proporcionar uma experiência textual que guie o usuário pelas interfaces garantindo uma jornada agradável de uso.

Por exemplo, sabe quando você acessa um site ou app pela primeira vez e precisa completar tarefas como uma compra ou reserva de passagens e parece que a interface está conversando com você, sem utilizar termos difíceis ou textos cansativos? Pois é, o profissional de UX Writing está por trás disso.


O trabalho do profissional de UX Writer tem sido cada vez mais valorizado no meio da tecnologia, dado que as empresas vêm percebendo que a comunicação se tornou a peça-chave para conseguirem um bom relacionamento e conexão com seus consumidores.

Também são responsáveis por refletir o tom de voz da marca para o público externo, colocar palavras-chave para otimizar processos de busca através do SEO (Search Engine Optimization), além de cuidar dos demais canais de comunicação da empresa, como e-mails e peças promocionais.





No exemplo abaixo, é possível perceber como é importante que haja clareza, concisão e utilidade aplicadas no texto da interface, sendo essencial para qualquer equipe de experiência do usuário contar com um UX Writer:




Nas mensagens de erro acima podemos perceber qual delas está conversando verdadeiramente com o usuário e o orienta sobre o que está acontecendo.


Porém, engana-se quem pensa que o UX Writer se limita a produtos digitais como aplicativos e sites. Recentemente o UX Designer Richard Jesus nos relembrou de uma das aplicações de UX Writing que virou um grande case de sucesso: foi a campanha de doação do Obama durante as eleições de 2012.


Os e-mails enviados eram curtos, pessoais e geravam comoção e curiosidade, basearam-se na empatia e na necessidade dos usuários e utilizam textos que conversam com eles:




E-mails da campanha do Obama em 2012: diretos, pessoais, trabalham com a emoção e a curiosidade através do “gap de informação”.



Sim!

Tudo isso é trabalho do UX Writer, e a tendência é que com a popularização de chatbots e design conversacional, essa profissão cresça cada vez mais. Agora, toda vez que você usar um produto ou serviço, seja digital ou não, tenho certeza que vai espichar os olhos para o texto. ; )

Se gostou, dá um like no post e compartilha com os amigos!


Quer algumas dicas pra começar a escrever pensando na experiência textual? A primeira impressão do texto é a que fica? A pirâmide invertida (T)








30 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo